Grande Down - MMORPG, POKÉMON GO, DESIGN E GAMER

Olá Convidado, seja bem vindo ao Grande Down, aqui você encontra tudo o que precisa, tire suas dúvidas, peça criações gráficas, faça amizades, poste suas opiniões, divulgue seu trabalho.

Para ter acesso amplo ao conteúdo do fórum terá que se registrar, e é totalmente gratuito, para isso, clique em "registrar-se" abaixo.
Bem-vindo ao Grande Down!
Cadastre-se agora para ter acesso a todos os nossos recursos. Uma vez cadastrado e logado, você será capaz de criar tópicos, postar respostas a tópicos já existentes, a reputação de seus companheiros, começar seu próprio mensageiro privado, atualizações de status, gerir o seu perfil e muito mais. Esta mensagem será removida após ter efetuado o Login.
Login em sua conta Criar conta

Foto

Teste de 7 Placas de Vídeo



  • Por favor, inicie sesión para responder

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

#1
Admin
em Ter 16 Ago - 17:04




Lendário


Testamos 7 placas de vídeo

Comparamos modelos básicos, intermediários e top de linha



imagem


AMD, NVIDIA, Placas de Vídeo, Placas de Vídeo Avançadas, Placas de Vídeo Básicas, Placas de Vídeo Intermediárias.



Sem nenhuma dúvida, o item mais desejado por um gamer é uma boa placa de vídeo. Para o desespero de alguns e felicidade de outros, as placas são renovadas constantemente e seu poder de fogo aumenta com o passar do tempo. Tudo para fazer frente aos jogos cada vez mais pesados, com cálculos de física avançados, técnicas de tesselação e texturas de tirar o fôlego. Para quem não gosta de ficar desatualizado, separamos sete placas de vídeo de última geração que atendem a todos os bolsos e necessidades. Seja você um entusiasta ou um jogador não muito exigente, esse comparativo não o deixará sem opção.



Para realizar os testes utilizamos duas máquinas com configuração de peso, uma com interface AMD e outra Intel. Para não ser injusto, jogando só no campo do adversário, testamos todas as placas nas duas máquinas. Para não confiar somente na percepção dos nossos jogadores hardcore, utilizamos os benchmarks 3D Mark 11, 3D Mark Vantage, Heaven v2.5, além dos benchmarks dos games DiRT 3, Crysis 2 e Metro 2033.



Computador Intel

Processador: Intel Core i7 3,6 GHz

Cooler: Corsair Hydro Serie

Fonte: Antec 850W

Chipset: North Bridge: Intel Sandy Bridge-DT IMC / South Bridge: Intel Cougar Point Z68

Áudio: Realtek ALC889 @ Intel Cougar Point PCH

Placa-mãe: Gigabyte GA-Z68X-UD4-B3

Memória: 2 x Corsair XMS CMX4GX3M1A1600C7 4 GB DDR3-1066 DDR3 SDRAM

Monitor: BenQ XL2410T (Digital) [23.6" LCD]

HDs: SSD INTEL SSDSA2M080G2GC (80 GB, SATA-II)

HDD WDC WD1002FAEX-00Z3A0 (931 GB, IDE)

Sistema: Windows 7 Ultimate 64bits



Comptuador AMD

Processador: AMD Phenom II X6 Black Edition 3,7 GHz

Cooler: Cooler Master V8

Fonte: XFX 1000W

Chipset: AMD 890FX / AMD K10

Áudio: VIA VT2020 @ ATI SB800

Placa-mãe: Asus Crosshair IV Formula

Memória: 2 x Kingston 9905471-001.A00LF 2 GB DDR3-1333 DDR3 SDRAM

Monitor: AOC 2343 [23" LCD]

HDs: KINGSTON SNV425S2128GB ATA Device (128 GB, SATA-II)

Sistema: Windows 7 Ultimate 64bits



Todos os modelos estão prontos para exibir jogos e filmes em 3D estereoscópico e suportam a tecnologia DirectX 11, que traz como uma de suas novidades a tesselação (tessellation), técnica que usa núcleos da GPU para gerar mais triângulos, dividindo os polígonos existentes na imagem. A nova técnica, adotada em peso pelos desenvolvedores, dá uma larga vantagem à maioria dos modelos da Nvidia. Vale lembrar que a principal fomentadora do tessellation é a Nvidia e a questão é bastante controversa. A AMD afirma que a quantidade de núcleos de tesselação não influencia no desempenho final. A aposta das empresas é diferente. A AMD eleva o poder de processamento ao máximo, com fortes clocks e um grande número de processadores de stream em cada GPU, enquanto a Nvidia apostou, com a Fermi, em uma tecnologia de paralelismo de dados e cache e em inúmeros núcleos de tesselação, ao contrário dos 2 núcleos por GPU da AMD.



O motor mais potente:

imagem


imagem


Rodando Crysis 2 em 1080p no limite a 58 quadros por segundo, Metro 2033 a 37,67 qps e atingindo 3.093 pontos no 3DMark 11, a GeForce GTX 590, da Zotac, tomou a dianteira com larga vantagem em relação aos concorrentes. Essa placa possui força de sobra para rodar qualquer game no mercado com as configurações máximas de qualidade. Seu único problema: custo. A placa sai por nada menos que 2.471 reais, além de exigir uma fonte de no mínimo 700 W e dois conectores de oito pinos. A placa traz duas GPUs GF110, cada uma com 512 processadores de stream, com clock efetivo de 854 MHz e 3 GB de memória total DDR5 (384 bits). Ela também é grandalhona: são 28,0 por 11,1 por 4 centímetros. Para contemplar os aficionados e poder conectar três monitores, a GTX 590 inclui três saídas DVI e uma miniDisplayPort. Mas fica devendo uma conexão HDMI. 2.471 reais.



Quase um puro sangue:

imagem


imagem


Quem se depara com a Radeon HIS 6990 e seus imponenetes 31,8 por 4,1 por 12,8 centrímetros pensa estar diante de uma das placas mais potentes do mercado. E, de fato, isso é verdade. Com duas GPUs Cayman (codinome Antilles), essa placa conta com 1.408 processadores de stream, com clock efetivo de 830 MHz e 4 GB de memória DDR5 (256 bits). Para rodar essa grande placa com segurança é necessária uma fonte de 750 W com dois conectores de 8 pinos. Mesmo com muita força, ela não superou a GTX 590 nos testes. Essa Radeon rodou Crysis 2, com todos os ajustes no máximo a 26 quadros por segundo. No entanto, no benchmark 3D Mark 11 ela atingiu 3.307 pontos, 214 pontos a mais que sua principal concorrente da Nvidia, que cravou 3.093 pontos. Durante os testes a temperatura registrada foi de 68º C. Por esquentar pouco, esse modelo da HIS aceita overclock com mais tranquilidade. A Radeon possui um gerenciador próprio para overclock, uma vantagem em relação à Nvidia, que orienta os clientes a não forçarem as placas. Para utilizar duas 6690 em paralelo com o cabo Crossfire, a AMD recomenda uma fonte de, no mínimo, 1200 Watts. A 6990 pode ser encontrada por 2.324 reais.



Avançada com bom preço:

imagem


imagem


Com 1536 processadores de stream, clock efetivo de 890 MHz e 2 GB de memória DDR5 (256 bits), a Radeon HD 6970 é uma placa imponente. Ela rodou Crysis 2 a 27 frames por segundo e o Metro 2033 (benchmark mais pesado em nosso teste) a 23 frames por segundo. Essa placa grandalhona requer um conector de oito pinos e outro de seis, além de uma fonte de no mínimo 550 W. Além disso, é necessário um gabinete grande, pois assim como as demais placas topo de linha, a HD 6970 tem proporções nada comedidas: 28,7 por 3,9 por 12,4 centímetros. Por 1187 reais, a esse modelo Radeon é a placa que oferece o maior poder de fogo por um preço não muito abusivo. Essa característica a transformou em uma das campeãs na relação entre custo e benefício. No modo automático, a temperatura chegou a 82º C. Com o utilitário AMD Overdrive é possível aumentar a velocidade do cooler e obter uma redução de temperatura. No INFOlab, a temperatura se estabilizou em 40º C. Para se conectar aos monitores, a placa conta com uma saída HDMI, duas saídas DVI e duas mini DisplayPort. 1.187 reais.



A intermediária de peso:

imagem


imagem


A MSI é conhecida por alterar bastante a parte física das placas. A R6850 Cyclone IGD5 Power Edition, que integra uma AMD 6850, não é exceção. A Cyclone não possui carcaça plástica nem um imponente dissipador, e sim um grande cooler habita seu centro. O layout pode beneficiar a dissipação de calor, mas está mais sujeito ao acúmulo de poeira e à troca de temperatura em excesso com gabinetes muito quentes. O visual agressivo combina com o desempenho. A placa foi bem nos testes e rodou o Crysis 2 em 1080p a 22 frames por segundo com os ajustes mais avançados. Para conectar o monitor, ela conta com uma saída HDMI e uma DisplayPort. Um conector de seis pinos e uma fonte de 500 W são requisitos para ter esse motor funcionando. O desempenho é fruto da Barts Pro, que tem 960 processadores de stream e clock efetivo de 890 MHz. Ela conta com 1 GB de memória DDR5 (256 bits). 594 reais



Superando o básico:

imagem


imagem


Essa GeForce GTX 560, da Zotac, traz uma carcaça de design mais agressivo e poder de fogo necessário para rodar, pelo menos com um pouco de detalhe, a maioria dos jogos. Ela é armada com 1 GB de memória DDR5 (256 bits) e GPU com clock efetivo de 820 MHz. A placa também traz duas saídas DVI e uma HDMI. Durante os testes do INFOlab, o modelo rodou o Crysis 2 em 1 080p com uma média de 28 frames por segundo. Mesmo exigindo dois conectores de seis pinos, a GTX 560 pede uma fonte de no mínimo 450 W. O produto sofreu muito com a temperatura quando comparada a sua principal concorrente no comparativo, a R6850, da Cyclone. Durante os testes do INFOlab, a placa intermediária da Zotac chegou aos 78º C. Mesmo sem oferecer nenhum risco, a temperatura é muito superior aos 57º C da competidora. 773 reais



Desempenho modesto:

imagem


imagem


Com um pouco mais de força no processamento, a GTX 550 Ti, da Nvidia, superou sua concorrente da AMD. Essa placa de entrada atingiu 18 frames por segundo no Crysis 2 em 1080p, com os ajustes no talo. Isso garante uma qualidade de imagem aceitável em games mais leves, como o Call of Duty: Modern Warfare 2. A placa conta com 1 GB de memória DDR5 (192 bits) e requer um conector de seis pinos, além de uma fonte mínima de 400 W. Esta placa de referência tem o design tradicional da Nvidia, com uma carcaça plástica envolvendo toda a placa, deixando somente o cooler à mostra. Outra vantagem em relação a sua concorrente direta é a saída adicional, permitindo a conexão simultânea de dois monitores. Por ser mais “gordinha”, a GTX 550 Ti pode ocupar o espaço de dois slots no gabinete. Mesmo assim, ela é compacta quando comparada aos modelos mais poderosos. 483 reais



Gráficos sem ferir os bolsos:

imagem


imagem


A principal atração da Radeon HD 6670, da AMD, é o preço camarada de 304 reais. Lógico que o jogador não pode exigir muito da GPU Turks e seus 480 processadores de stream. Com essa plaquinha, é possível rodar jogos mais avançados com as configurações mínimas para os detalhes. Com 1 GB de memória DDR5 (128 bits) e clock efetivo de 890 MHz, faz-se necessária uma fonte de 500 W para rodar sem riscos. Durante os testes do INFOlab, a Radeon HD 6670 rodou Crysis 2 em 1 080p, com todos os ajustes no máximo, a uma média de 10 quadros por segundo. Qualquer jogador sabe que 10 FPS é uma condição inaceitável para jogos de tiro. O design da HD 6670 proporciona um bom arrefecimento, o que possibilita um leve overclock. Ela é ideal para quem não tem muito para investir e não pretende trocar a fonte de alimentação. 304 reais

http://grandedown.forumeiros.com

Mensagem [Página 1 de 1]